terça-feira, 19 de junho de 2012

E quando a febra cai no meio da brasa?

Quantas vezes já te aconteceu fugires a um plano que tinhas feito para alguma coisa da tua vida? Os planos são sem dúvida uma excelente forma de organizarmos as nossas vidas, mas também conseguem ser bastante frios e insensíveis. Uma pessoa que esteja em época de exames, por exemplo, com o tempo bem contado e um plano de estudos feito até ao próximo exame não vai ter planeadas coisas deste género:
  •  Cumprimentar a minha mãe quando chegar a casa; deixar arrastar a conversa durante dez minutos, caso esteja a precisar de falar;
  • Tirar duas horas para ir almoçar com o meu pai, tenho um feeling que hoje me vem buscar a casa de surpresa;
  • Deixar-me ficar a tocar guitarra durante quinze minutos a seguir às 15h, vai dar-me uma preguiça terrível a essa hora;
  • Adormecer de cansaço às 16h00 e acordar biologicamente às 16h20
  • Aceitar o convite que vou receber do Zé para ir jantar com uns amigos à praia  

Quer dizer... há coisas que não se planeiam! E ainda bem, porque senão a vida corria o risco de se tornar monótona em algumas ocasiões. Esses acontecimentos com que não contamos, se decidirmos alinhar neles, tanto podem trazer bons como maus resultados para a nossa vida. É um risco que corremos e pelo qual tantas vezes vale a pena passar.

Deixar cair as febras na brasa, por exemplo, não era uma coisa que estivesse nos meus planos antes de as ir grelhar. Mas não é por isso que elas deixaram de cair (e com uma frequência estonteante, visto que a pessoa que estava a grelhar comigo era a Maria Fragoso)! Nem por isso deixámos de passar um bom bocado, que provavelmente não teríamos passado se os cozinheiros fossem mais jeitosos a manusear os garfos.



Onde é que eu quero chegar, sem fazer uma reflexão muito profunda sobre o tema? À famosa moral que conhecemos por "no meio é que está a virtude". 

Vivermos todos os nossos dias, sem fugir ao plano previamente traçado por nós, é dizer que não ao mundo de hipóteses que está lá fora. Planear excessivamente é dizer que SIM só àquilo que já conhecemos e NÃO ao que não conhecemos.
Mas viver sem planos pode levar ao esquecimento das prioridades de cada um, das nossas obrigações, o que não só pode deixar muita gente magoada, como a nós mesmos sem rumo na vida.

Por isso sugiro que planeemos os nossos dias com todas as tarefas a fazer em casa e no trabalho, nos grupos a que pertencemos e associações em que trabalhamos, mas que não nos esqueçamos de deixar uns espaços em branco. Quem sabe se a febra que caiu na brasa afinal não era a mais saborosa de todas?










3 comentários:

  1. muito bom Miguel! Tens toda a razão.. É preciso às vezes comermos dessa febra que caiu acidentalmente!
    E é incrível como aparecem sempre coisas que não tínhamos planeado, isso nota-se principalmente na altura de exames, em que não há tempo para tudo! Mas claro, o truque está na organização e nas prioridades.

    Beijinhos, Marta Serra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu que o digas Marta! Ultimamente isso tem sido só febras a aparecer repentinamente na brasa. Mas como boa grelhadora que és, não tenho dúvidas que no final vais fazer um bom churrasco :)

      Eliminar
  2. Miguel!
    Só vi este teu comentário agora! Ahahah muito engraçado, adorei!
    A verdade é que temos sempre bons amigos para nos ajudar nos churrascos! ;)


    Marta

    ResponderEliminar