quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Decidir em Vez de Tentar Controlar

Em qualquer dia das nossas vidas, a partir do momento em que acordamos somos chamados a fazer uma coisa importantíssima: tomar decisões. Se nos levantamos assim que ouvimos o despertador, ou se ficamos a enrolar até ao limite é uma opção que cabe a cada um tomar. Nesta, como em muitas outras situações, seja em casa, no trabalho ou com amigos, somos chamados a escolher entre alternativas diferentes. É precisamente aí que o nosso poder de decisão é chamado a atuar e aí é que a coisa pode ficar feia! O medo de abdicar de certas regalias e o desconhecimento das consequências da nossa decisão podem paralisar-nos e deixar-nos na pior situação possível, que é a da não-decisão.

O processo de tomada de decisão, sobre o qual sei muito pouco (apenas o que vida me ensinou até agora) mas gosto de ouvir falar, tem muito que se lhe diga. Ainda quero voltar a falar sobre ele no futuro, mas por hoje vou focar-me num aspeto específico de todas as decisões que tomamos: É impossível controlar o seu resultado.

Tabela de Miguel Arino In: apresentação "10 principles to make effective decisions", para mais info: http://miguelarino.com/2012/04/12/titanic/


Desta forma, uma decisão bem tomada não tem de levar necessariamente a um bom resultado. Parece-me que aceitar este facto é um bom ponto de começo, se queremos evitar o desespero quando as coisas não correm como esperávamos. Mas mais que aceitá-lo, quando a decisão que temos de tomar é importante devemos também preparar-nos para os imprevistos: criar planos B, perguntar-nos quantas vezes for preciso "E se acontecer...?". É isto mesmo que o X-manager, personagem que apresentarei num post futuro, faz quando é chamado a tomar decisões pessoais ou na sua empresa. Ele não tem medo do futuro nem do risco que este comporta. "Quem não arrisca, não petisca!" - costuma dizer. Sabe que com o dia de amanhã está sempre associada alguma incerteza, por isso aceita-a e inclui-a sempre nos seus planos.

Agora de volta ao caso das boas decisões que podem não levar a bons resultados, apresento-vos um exemplo muito simples:
 - No dia  7 de Julho de 2005, deu-se uma explosão na parte de cima de um autocarro em Londres, fruto de uma intervenção terrorista. Nesse dia, Anthony Fatayi-Williams, um jovem de vinte e seis anos, não conseguiu ir de metro para o trabalho, pelo que teve de arranjar outra alternativa: o autocarro. Por azar, apanhou precisamente aquele onde se deu o ataque terrorista e morreu.
Põe-se a questão: a decisão do Anthony de apanhar o autocarro foi uma má decisão? Eu diria que não! O resultado foi o pior possível, é verdade, mas a pessoa em causa não tinha a mínima hipótese de o prever.

Outra situação da tabela em que nos podemos ver envolvidos e será interessante analisar é aquela em que uma pessoa toma uma má decisão e, no entanto, o resultado acaba por ser bom. Como o prof. Miguel Arino dizia numa sessão a que assisti sobre os princípios para tomar boas decisões, esta é uma situação muito perigosa. Porquê? Porque é aqui que aprendemos a fazer as coisas mal! Imaginemos um carro que quer ir do ponto A ao ponto B e tem duas estradas para o fazer. A estrada 1, que está completamente engarrafada mas em bom estado; a estrada 2, que não tem trânsito nenhum devido ao perigo de derrocada eminente. O condutor opta pela estrada 2 e consegue chegar onde queria ileso. Foi uma boa decisão, esta? A de jogar com a sua vida por não querer perder tempo com o trânsito? Agora, convencido de que agiu bem na primeira vez, ele é capaz de repetir a brincadeira (que razões é que tem para crer que não lhe sai bem outra vez?) e arranjar problemas sérios.


Decidir e obter um resultado são duas coisas distintas. Acho que esta é uma boa ideia de alguém que percebe deste assunto, e espero que por agora tenha conseguido fazê-la passar de forma interessante.








2 comentários:

  1. interessante a abordagem que fazes :)

    ResponderEliminar
  2. Olá Miguel, também gostei de ler o artigo. Parabéns pela decisão de o escreveres.Será, talvez, o exemplo simples de uma boa decisão e de um bom resultado!:)

    ResponderEliminar